quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A história de Pedro e o Lobo, em versão atualizada


Conhecemos a história do menino que brincava com todos os moradores de sua aldeia gritando, de vez em quando: "Olha o Lobo, olha o Lobo..."

Sendo uma aldeia de criadores de ovelhas o grito mobilizava a todos que acorriam para defendê-las do feroz e faminto animal...

Aí descobriam o Pedro. Rido a mais não poder pela peça pregada. Isso ocorreu durante vários dias... Até que o Lobo veio de verdade e, por mais que Pedro gritasse, ninguém lhe acudiu. E o Lobo pode devorar quantas ovelhas quisesse.

Parece que os responsáveis pela área do Governo começam a lançar gritos como o menino Pedro. Suas mentiras e incoerências são observadas facilmente. Vejam, por exemplo, duas das manchetes do jornal de hoje, informando sobre a questão do apagão muito mal anunciado ontem pelos meios de comunicação.

Uma dessas manchetes diz que: "Ministério nega relação de Apagão com alta do consumo de energia", onde "O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, descartou que a falha registrada na tarde desta terça-feira (4), e que provocou apagão em parte das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Tocantins, no Norte, esteja relacionada com o aumento do consumo de energia nas últimas semanas, provocado pelo calor."

Em outra manchete, do mesmo jornal, é informado que: "Sistema elétrico opera perto do limite e pode voltar a falhar neste ano". Nessa notícia os especialistas vão desfiando uma série de razões para que o sistema esteja na iminência do colapso total.

Teremos um grande teste durante o mês em que haverá grande fluxo de demanda de energia com os eventos da copa mundial de futebol. Vamos torcer, principalmente, para que a situação geral dos sistemas essenciais.

Vamos torcer, também, para que os Prefeitos, Vereadores e outras autoridades municipais, comecem a realizar uma campanha de conscientização quanto à importância de economizar água. Chega de vermos políticos "bonzinhos" só pensando em ser popular e ganhar votos. Queremos ação efetiva!