sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Facilidades para a Copa de 2014!

Após 14 anos, Aeroporto de Viracopos será expandido

Faltam várias coisas para que o Aeroporto, na forma que atualmente se encontra, possa atender os passageiros que utilizam Viracopos como opção para chegar em São Paulo, ou partirem para outros destinos.

Espero que haja uma análise um pouco mais aprofundada sobre o que é necessário ter num aeroporto.

Por exemplo: uma área maior para embarque/desembarque; um estacionamento compatível ao número de passageiros; etc. é muito mais importante que a área de shopping em que a INFRAERO vem transformando a maioria dos aeroportos brasileiros.

Mais respeito com o povo; inclusive com o dinheiro público!

Rombo no PanAmericano vai a R$ 4 bi

Rombo no PanAmericano vai a R$ 4 bi e BTG faz oferta | Valor Online

Quando anunciaram o rombo de R$ 2,5 bilhões já havia comentado sobre a existência de uma 'quadrilha' agindo de forma coordenada enquanto havia 'interesses a serem preservados'.

Afinal de contas qual é o rombo do PanAmericano? Será que a contabilidade dessa entidade está tão estranha que ninguém consegue fazer as contas certas? Nem mesmo o BACEN?

Há algo muito poderoso rondando esse escândalo financeiro. Quem será que anda por trás? E que poder, hem?

Isso custará a cabeça de alguém?

Houve tempo em que o Ministro mentia para que o governo pudesse realizar algo de maior envergadura. Era chamada de mentira funcional.

Passado esse momento, era normal que o Ministro pedisse demissão e desculpas pela mentira que tivera de manter. Sabia que a mentira, ainda que por uma causa nobre, lhe extirpara, para sempre, a credibilidade.

Já comentei que a questão dos Sindicatos e o Governo causaram muita dor de cabeça a todos. Agora a provocação chega a abalar a credibilidade de alguém. Quem irá ao cadafalso?

Tabela de IR: declaração de Mantega causa reação entre sindicatos

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A Governabilidade será possível no Brasil de hoje?

Há pouco tempo os jornais apresentaram o posicionamento de sindicalistas que não concordaram em serem 'deixados de lado' pela Presidente! E deram um recado de que o Governo de Dilma não seria fácil...

O primeiro erro do governo Dilma | Valor Online

Até que ponto a sociedade será passiva com esse absurdo; com essa inversão de comando que estamos percebendo, claramente, por meio de notícias diárias dos jornais?

Será que um dia acordaremos? Até onde essa filosofia, baseada na teoria de Gramsci (Antonio), engessará tudo na sociedade?

Do jeito que anda a sociedade só acordará quando já estiver mortinha...

A notícia acima referida está no post: Centrais Sindicais Reclamam de Tratamento dispensado por Dilma

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Uma boa proposta, finalmente!

Dilma vai propor corte de tributo para incentivar emprego formal - Economia - iG

Excelente proposta! Será um grande incentivo para que as empresas regularizem a situação de seus empregados.

Sem considerar os custos administrativos das empresas em geral, necessários para controlar tantas situações específicas que o registro de um trabalhador requer, há uma grande variedade de tributos que oneram significativamente a folha de salários.

Se um funcionário receber um salário de R$ 1.000,00 por mês, ao final de 1 ano haverá a seguinte situação, apurada de forma simplista, a empresa despenderá cerca de R$ 25 mil e o Empregado receberá cerca de R$ 12,5 mil (com 13o salário e férias). A diferença de R$ 12,5 mil vai distribuída em várias guias para o Governo, sendo uma parte destinada ao Fundo de Garantia, com juros inferiores aos da poupança.

A dificuldade da Presidente será em fazer qualquer redução que não agrave, ainda mais, a questão da previdência, que ninguém quer definir...

Vamos torcer, de qualquer forma, para que tudo dê certo!

As razões da violência e da ignorância

Carga Tributária Gera Aumento no Preço de Material Escolar - clique para ler matéria completa

Há alguns anos (na realidade algumas dezenas de anos) era praxe ouvirmos a explicação, fornecida pelos técnicos da Receita Federal, para a diferenciação de alíquotas dos tributos aplicáveis em cada classe de produtos.

"A carga tributária incidia em cada produto de acordo com o 'princípio da essencialidade', fazendo com que aqueles considerados essenciais fossem menos onerados pelos tributos do que aqueles considerados 'supérfluos'."

Difícil era explicar o que era supérfluo; pois, se realmente fossem supérfluos não haveria razão para que alguém consumisse tal produto. Mas isso já é outra história...

Vemos, pela cuidadosa e detalhada análise apresentada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário - IBPT, que os materiais escolares são severamente onerados por tributos.

E devemos observar que os tributos somados são apenas aqueles de incidência direta no produto. Não são considerados outros como: Tributos Trabalhistas e Previdenciários; Tributos de Licença e Funcionamento (Alvará); Tributos incidentes sobre a Energia e a Telecomunicação, essencial para o funcionamento de qualquer estabelecimento; etc.; etc.; e, tal (a lista vai bem longe).

Dá para entender a estratégia do Governo Federal. Educação não é prioridade do Estado. Somente considerando que Educação seja um 'produto' supérfluo é que dá para entender essa oneração.

Fica explicado, também, a razão pela qual os dois governos (Lulla e Dilma) mantém 'aquilo' como Ministro da Educação. Não precisa ter ninguém competente numa área tão supérflua e desnecessária como a Educação...

Criança que não vai a escola, por falta de dinheiro da família para aquisição de material adequado aos estudos, é criança que fica abandonada, sujeita a receber da escola da vida outros tipos de educação. A educação passada por traficantes, por viciados, por bandidos de vários tipos.

Melhor parar por aqui. É muita irresponsabilidade do governo e da sociedade que é leniente com esse tipo de governo instalado.

Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice. (Meu dever é falar, não quero ser cúmplice.) (Émile Zola)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

As razões para ser solidário. E a forma de ser...

Sobram roupas, mantimentos e histórias de uso político das doações no Rio de Janeiro - 24/01/2011 - UOL Notícias - Cotidiano

As notícias são repetitivas. Todos os anos temos tido surpresas (se é que podemos chamá-las assim) dos cataclismos que deixam em pior estado grande parte da população das regiões mais atingidas.

A diferença neste ano é que ela alcançou regiões mais 'chiques'. Muitas das vítimas tinham destaque na sociedade. O normal era que esse tipo de tragédia atingisse apenas as pessoas de menor renda, mais carentes, sem voz e com grande quantidade de votos e credulidade. Agora estão unidos na tragédia o Zé e o Dr. José!

Enquanto a sociedade não compreender que tudo isso faz parte de um plano de enriquecimento criminoso, nada mudará. É mais do que hora, com tantos meios de comunicação funcionando e sendo, razoavelmente, acessíveis pela grande maioria das pessoas, que as 'máscaras' comecem a cair.

Tudo é podre no Governo. Tudo está podre no Poder. Não dá para selecionar este ou aquele governante, político ou partido. Não há cores ou ideologismos partidários nos atos desonestos. O que restá é somente a mesma falta de mínima decência das pessoas com poder. Até mesmo àquelas com 'algum poder' (os chamados 'pequenos poderes'). Tudo poderia ser muito melhor SE ELAS NÃO EXISTISSEM!

Desde os problemas ocorridos em Santa Catarina (ainda recente em nossa memória) vemos que a maioria das doações entregues são DESVIADAS e SERVEM PARA USO APENAS DAS PESSOAS revestidas ou ligadas com aquelas chamadas de: 'AUTORIDADE'. E, mesmo assim, grandes organizações continuam a solicitar que encaminhemos nossa ajuda aos desabrigados e aos famintos e aos carentes de tudo! Nesse momento, como naqueles que o antecederam, há uma motivação solidária que parece crescer como um grande 'tsunami' do bem; ou, supostamente (essa palavra está em moda), para o bem...

Só que grande parte da ajuda não chega onde é necessária. Parte é desviada (até para ser vendida aos próprios necessitados) e outra é, simplesmente perdida.

Por isso devemos analisar as RAZÕES PARA SERMOS SOLIDÁRIOS, bem como AS FORMAS MAIS ADEQUADAS PARA PRATICARMOS esse ato nobre!

A razão, para mim, é bem simples. Ser solidário é ser rico! Somente o rico é que pode partilhar o que tem com outra pessoa. Quem partilha tem o que lhe sobra. E, se sobra, é por que é rico na medida necessária para ajudar a outra pessoa.

“E todos continuavam firmes (...) partindo o pão juntos...” – Atos 2.42

A forma de partilhar também pode ser simplificada. Ou será que todos que doaram não conhecem alguém, próximo do local onde mora, que também esteja necessitando de alguma ajuda? Ajuda para se alimentar, para se vestir, para ter com quem conversar, para poder sentir a dignidade de ser 'gente'?

Será que precisamos ajudar pessoas em locais tão distantes de nossa casa? E somente nos momentos de maior crise? E, especialmente, se formos 'alertados' pela mídia e pelo 'desejo de parecermos bonzinhos'?

Vamos repensar um pouco mais sobre as razões para sermos solidários e a forma em exercitarmos esse importante ato.

E, claro, não nos esqueçamos de cobrar a responsabilidade de políticos e outros líderes públicos que costumam arquitetar e realizar seus roubos sem a menor cerimônia ou abalo de consciência, incitando as outras pessoas a lhes enviarem doações para 'serem distribuídas'...

Atenção com seu voto. Somos um povo que vive num país de muitas riquezas. Não precisamos de esmolas de políticos corruptos e ladrões...

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Sonhos e reivindicações se misturam no Cantagalo e Pavão-Pavãozinho

Clique para ver a matéria => Sonhos e reivindicações se misturam no Cantagalo e Pavão-Pavãozinho

Claro que os acontecimentos dos últimos 45 dias deixaram todos muito distantes da realidade que acontecia, no Rio de Janeiro, até o final de novembro de 2010 (faz tempo. Isso deverá justificar a ausência de novas notícias ou mesmo o interesse da população em geral).

A memória do brasileiro é do tipo 'espelho'; só é discutida se estiver diante do seu nariz. Isso explica a razão pela qual tantos políticos são eleitos e reeleitos todas as vezes.

Neste artigo dá para perceber a grande distância que existe entre o chamado Poder Público e a população.

Ou será que fazer trabalhos preventivos, oferecendo EDUCAÇÃO, SAÚDE e SEGURANÇA deixaram de ser atribuição do Estado?

Acho que a população deveria entender que NÃO PRECISAMOS de Prefeito, Governador ou Presidente da República. APENAS QUEREMOS UM SÍNDICO que tome conta das coisas essenciais, zelando pelo Bem público e prestando regularmente suas contas. Com toda transparência!

É isso aí...

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Centrais sindicais reclamam de tratamento dispensado por Dilma

Centrais sindicais reclamam de tratamento dispensado por Dilma

Preocupante a ameaça que os baderneiros de sempre estão fazendo à Presidente e ao País.

Claro que todos somos favoráveis ao respeito e adequado cumprimento das leis. Nisso incluso os trabalhadores e todos os cidadãos.

O que me deixa pasmo é a cara-de-pau desse pessoal dos sindicatos darem de dedo na Presidente e a toda sociedade. Veja, abaixo, os trechos destacados do artigo:
Estamos incomodados com esse início de governo. Antes de assumir o cargo de presidente, Lula se reuniu conosco duas vezes. Na época, disse que, se não pudesse atender às demandas, continuaria a conversar. Se Dilma ficar ouvindo seus burocratas, vai ter muito trabalho conosco", disse Paulinho.

Na mesma linha de Paulinho, o presidente da CUT, Artur Henrique, afirmou que Dilma está cercada de "economistas burocratas que querem implantar a agenda dos derrotados nas urnas". Uma prova disso, argumentou ele, seria o fato da equipe econômica ter pregado a necessidade de fazer um ajuste fiscal. "O mínimo é um poderoso instrumento para a presidente cumprir a promessa de erradicar a pobreza até 2014", disse Henrique, que lembrou do apoio oferecido pelas centrais à Dilma na campanha presidencial. "Sem aumento real, vamos para rua com autonomia", declarou.
O modelo atual de cálculo de reajuste do salário mínimo, que vale até 2023, garante a correção anual pela inflação e tem também como base o percentual de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do ano anterior ao envio da proposta orçamentária ao Congresso, que nesse caso seria o de 2009. Os sindicalistas, no entanto, reivindicam uma correção diferenciada para 2011, pois, em 2009, por causa dos efeitos da crise financeira mundial, o crescimento do PIB foi praticamente nulo. Por isso pedem um mínimo de R$ 580.
Ontem, as centrais também entraram com ações na Justiça Federal em cada um dos 20 Estados onde houve manifestações para conquistar a correção da tabela do Imposto de Renda. "Cuidado, Dilma. O FHC [ex-presidente Fernando Henrique Cardoso] começou assim. Não corrigiu a tabela. Foi o primeiro erro dele. Ninguém está botando a faca no pescoço, mas espero que esta seja a última manifestação", enfatizou Paulinho, em um sinal de que a pressão deve aumentar. No Dia do Aposentado, 24 de janeiro, deve ocorrer mais um ato.

Os destaques acima são meus.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Bispo recusa homenagem do Senado em protesto contra aumento

Bispo recusa homenagem do Senado

É muito interessante encontrar esse tipo de manifestação; especialmente quando divulgada pela mídia (no caso o site G1 da Globo).

Que a mesma possa servir de exemplo e modelo para todas as pessoas; e que os jovens possam ter em quem se espelhar.

Cumprimento o Bispo Dom Manuel Edmilson Cruz, de Limoeiro do Norte, CE.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Lei Kandir - Um mal a ser reparado!


Nada contra a pessoa de
Antônio Kandirian, conhecido como Kandir, autor da Lei de desoneração que leva seu nome.
Apenas a constatação da absurda criação, na época da elaboração da constituição de 1988, de 'formas inadequadas' para trata de assuntos tributários. Essa tal Lei Kandir tem de ser revogada urgentemente.
Foi na Constituinte que ocorreu a maior 'Guerra Fiscal', onde deputados de alguns estados (evidentemente os deputados melhores preparados) usaram de sua força argumentativa para ganhar benefícios aos seus estados, em grave prejuízo aos demais estados, especialmente àqueles produtores e exportadores.
Esse dano deve ser reparado com urgência. Sob pena de começarmos a questionar a validade do pacto federativo que está tratando de forma diferenciada e perniciosa os entes federados.
Minha sugestão é simples (embora seja extremamente polêmica):
a) Substituir o procedimento de ‘Royalties’ pela incidência do ICMS na produção de energia (sob qualquer forma). Toda energia produzida seria, assim, tributada pela alíquota de transferência interestadual usual, nas vendas realizadas pelo estado produtor aos demais estados;
b) Eliminar a condição de desoneração na exportação do soja a granel – ou qualquer outra comoditie.
Com certeza os estados produtores passariam a receber o justo retorno pelo dano ambiental que a exploração de qualquer bem, em larga escala, produz; permitindo que os Executivos estaduais destinassem recursos mais condizentes à recuperação e manutenção das áreas de exploração. Atualmente os valores recebidos como royalties são gastos sem a devida clareza. Há orçamentos de entes públicos em que essa receita, por exemplo, é desconsiderada para efeito de destinação de verbas.
Tá mais do que na hora de ACENDERMOS AS LUZES livrando-nos da escuridão e da ignorância.
É recomendável a leitura e a reflexão no texto elaborado pelo Dr. Helenilson Cunha Pontes.

Após rombo, Carrefour vai refazer balanço

ViewFenacon
É uma pena que as informações que estão sendo divulgadas pelos jornais tragam mais confusão ao mercado.

Fica a impressão de que os ajustes que foram decididos agora, diferente ao estabelecido anteriormente; e possam trazer perdas aos investidores, fornecedores, colaboradores, etc.

É preciso maior responsabilidade na divulgação nesse tipo de notícia.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Enchentes em São Paulo: os problemas da cidade não são culpa da natureza, 1890-1940

ENVOLVERDE - Revista Digital de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Há quem diga, com muita propriedade, que qualquer comunidade torna-se desumana a partir de uma determinada população. As cidades brasileiras sentem um orgulho incompreensível em serem, cada vez mais, maiores.
É resultada da estupidez humana ou simples ignorância?
É matematicamente impossível haver algo (tecnologia ou gente) que reúna todas as condições necessárias à perfeita administração harmônica de qualquer comunidade que vá sendo inchada sem meios de controle.
Vai muito além da questão de planejamento. É uma questão que contraria sentidos atávicos de que ‘serei mais forte se mais pessoas estiverem junto comigo’. Essa história pode funcionar com o feixe de gravetos; em relação às cidades (ou juntamentos humanos) a questão é bem outra...
Além de São Paulo, várias outras cidades brasileiras estão mostrando a insensatez dos números de habitantes que registram. Em vez de servir de incentivo para receber maior participação da receita dos impostos deveria servir era de alerta a qualquer pessoa minimamente coerente.
Claro que coerência não é o forte de nossos políticos ou autoridades. Até mesmo nas pessoas comuns essas minhas palavras podem soar estranhas e, até por isso, ‘erradas’!
O que se pode esperar dos políticos que ‘ganham’ quando pensam igual a maioria de seus eleitores (infelizmente mantidos na mais completa ignorância há tantos anos). Só podemos esperar decisões e leis equivocadas e ‘tapa-buracos’ que nos irão enterrar num prazo menor de tempo!
As soluções técnicas apresentadas, infelizmente –e provavelmente por questão política-, não aborda a imperiosa necessidade de se promover a descentralização das cidades, a descompressão habitacional, a imperiosa necessidade de convívio mais harmônico com a natureza!
Até que isso ocorra, temos de nos acostumar a ver as manchetes relatando as mesmas notícias, a cada ano, e, claro, sempre em maiores proporções.
Muitos (pobres e, agora ricos também) verão o fim do mundo mais rápido do que qualquer sinal de Nostradamus ou Calendário Maia pudesse prever. A destruição está em nossas mãos. Ou será em nossa percepção?

RFB lança cartilha explicativa sobre o Regime de Tributação Unificada

Contadores.cnt.br - Seu portal contabilista

Claro que eu posso estar equivocado. Só que esse tipo de notícia da Receita Federal, 'beneficiando' os micros sempre me faz ficar de 'orelhas em pé', como se dizia antigamente...

Tomara que isso não represente um desaguar de mercadorias (que chegam pelos portos e aeroportos brasileiros) 'carimbadas' como vindas do Paraguai.

A redução dos tributos compensa largamente a possível valorização do Real perante as demais moedas.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

12 de Janeiro - Dia do Empresário Contábil

Portal Contábil SC | Unindo a Contabilidade Catarinense

Aproveito a nota enviada pelo Portal Contábil de Santa Catarina, para cumprimentar a todos os amigos que são empresários da contabilidade.

Que as profundas mudanças que ocorreram nestes últimos anos proporcionem a evolução profissional e pessoal daquele que se dedica e zela pelo conforto e manutenção dos bens das famílias, no mundo todo.

Mortos em Teresópolis sobem e número passa dos 25 no Rio

Mortos em Teresópolis sobem e número passa dos 25 no Rio - Últimas Notícias - MSN Estadão

Todo início de ano há uma contabilização de desastres causados pela ação do Homem e pela inação dos goverrnantes. Ambas são resultante de grande incompetência e profunda ignorância.

Se perguntarmos para qualquer uma das pessoas atingidas pelos desastres: "Em quem você votou para Senador e Deputado, na última eleição?", a resposta que teremos será, na quase totalidade dos casos: "Não lembro!".

Que se pode esperar dos políticos que são eleitos com base na fome e ignorância do povo?

Apenas o que está se vendo neste início de ano: a contabilização de desastres e mortes...

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Sustentabilidade deve ser ensinada e praticada na escola

Mercado Ético > Blog Archive » Sustentabilidade deve ser ensinada e praticada na escola

Concordo com o título deste artigo. Apenas gostaria de ampliar um pouco o significado da expressão "escola".

Afinal, se somos seres aprendentes e, por isso, aprendemos todos os dias, nada mais natural do que considerar todos os ambientes em que estamos uma ESCOLA!

Por isso há boas e más escolas. Se a criança, em sua infância, tem um lar harmonioso e sereno, terá provavelmente uma natureza menos ansiosa, mais serena, cordial e educada.

Ah! É essa a palavra: "educada" que incomoda. Afinal o que é educação sem formação?

Os professores podem apresentar algo novo às crianças e praticar com elas até que o conhecimento seja "incorporado".

Ninguém consegue, de fato, ensinar alguém. Se fosse assim, seria muito fácil. Bastaria termos pessoas dispostas a ler livros em salas de aula que "estava salva a lavoura".

Sabemos que não é bem assim. Tudo é preciso ser 'incorporado' para que se dê o devido valor.

Que a pratica da sustentabilidade na escola tenha sucesso e sirva de exemplo para todas as outras!

Amém!

Fontes d’água poluídas ameaçam saúde da população

Bem Público - Matérias - Fontes d’água poluídas ameaçam saúde da população

Por mais absurdo que possa parecer... NINGUÉM DÁ A MÍNIMA para a situação de calamidade que estamos vivendo!

De que adianta gritar por SOCORRO se todos já estão surdos ou idiotas?

Até quando ainda teremos de conviver com essa ameaça à vida e à raça humana?

Quem sabe se o Andrezinho, da Globo News, descobre que há risco e BOTA A BOCA NO TROMBONE, prá ver se há alguém que ainda escute...

E FAÇA ALGUMA COISA!

Quando o Estado é Incompetente!


As empresas brasileiras são submetidas a elevada tributação.

Com o tributo arrecadado o Governo, gastando mal (e desviando para fins escusos), oferece um serviço público deplorável em todas as modalidades. Não há que se falar em Saúde, Educação e Segurança. Quem quiser terá de pagar algo mais para usufruir disso que seria - em qualquer lugar do mundo - um Direito.

Nesse caso das cotas, sem entrar no mérito da questão em si, há um absurdo insanável do Estado. Ele cria a Lei, não oferece nenhuma condição de orientação e/ou facilitação às empresas que, por falta de candidatos interessados em receber o 'benefício' da cota, a Empresa acaba sendo autuada.

A sociedade tem o governo que merece! Infelizmente já estamos exagerando na dose de incompetência, imoralidade e desonestidade. Não há mais como ver seriedade em qualquer membro dos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo!

Todos estão na mesma dança, locupletando-se, ou permitindo que outros realizem seu butim. Enquanto isso a 'res pública' vai minguando e o povo - acomodado, acovardado, inerte e 'louco para entrar numa boquinha - fica aplaudindo o que chamam de democracia...

Muito triste! Um país que tem grandes riquezas e pessoas de rara inteligência, ser condenado a desaparecer para satisfação de uns poucos 'bandidos' que se transformaram em tiranos democráticos...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A DIFERENÇA QUE FAZ DIFERENÇA

Fazendo uma verificação de antigos arquivos em meu computador, encontrei o que transcrevo abaixo. Desconheço sua autoria (que, até, pode ser minha própria). Sei que foi criado no no segundo semestre de 2000.

Como poderá ser constatado, há coisas que não mudam. Pode passar o tempo que elas se mantém atuais como se tivessem sido criadas hoje.

         Os desejos primários de todas pessoas são: ser felizes, progredir e ganhar mais dinheiro. Uma forma efetiva de alcançar estes anseios é sendo ricos e prósperos. (baseado em Abraham Maslow)
Assim como há pessoas pobres e pessoas ricas há países pobres e países ricos. A diferença entre os países pobres e os ricos não é a antigüidade do país. Fica demonstrado pelos casos de países como Índia e Egito, que tem mil de anos de antigüidade e são pobres. Ao contrário, Austrália e Nova Zelândia, que há pouco mais de 150 anos eram quase desconhecidos, hoje são, todavia, países desenvolvidos e ricos.

A diferença entre países pobres e ricos também não está nos recursos naturais de que dispõem, pois o Japão tem um território muito pequeno e 80% dele é montanhoso, ruim para a agricultura e criação de gado, porém é a segunda potência econômica mundial: seu território é como uma imensa fabrica flutuante que recebe matérias-primas de todo o mundo e os exporta transformados, também a todo o mundo, acumulando sua riqueza.


Por outro lado, temos uma Suíça sem oceano, que tem uma das maiores frotas náuticas do mundo; não tem cacau mas tem o melhor chocolate do mundo; em seus poucos quilômetros quadrados, cria ovelhas e cultiva o solo quatro meses por ano já que o resto é inverno, mas tem os produtos lácteos de melhor qualidade de toda a Europa. Igualmente ao Japão não tem recursos naturais, mas dá e exporta serviços, com qualidade muito dificilmente superável; é um país pequeno que passa uma imagem de segurança, ordem e trabalho, que o converteu na caixa forte do Mundo.


Também não é a inteligência das pessoas a tal diferença, como o demonstram estudantes de países pobres que emigram aos países ricos e conseguem resultados excelentes em sua educação; outro exemplo são os executivos de países ricos que visitam nossas fábricas e ao falar com eles nos damos conta de que não há diferença intelectual. 


Finalmente não podemos dizer que a raça faz a diferença, pois nos países centro-europeus ou nórdicos vemos como os chamados ociosos da América Latina (nós!!) ou da África, demonstram ser a força produtiva desses países. O que é então que faz a diferença?



A ATITUDE DAS PESSOAS FAZ A DIFERENÇA.

Ao estudar a conduta das pessoas nos países ricos se descobre que a maior parte da população cumpre as seguintes regras, cuja ordem pode ser discutida:

1.    A moral como principio básico
2.    A ordem e a limpeza
3.    A integridade
4.    A pontualidade
5.    A responsabilidade
6.    O desejo de superação
7.    O respeito às leis e aos regulamentos
8.    O respeito pelo direito dos demais
9.    Seu amor ao trabalho
10.  Seu esforço pela economia e investimento
            Necessitamos de mais leis? Não seria suficiente cumprir e fazer cumprir estas 10 simples regras? Nos países pobres, só uma mínima (quase nenhuma) parte da população segue estas regras em sua vida diária.
Não somos pobres porque ao nosso país falte riquezas naturais, ou porque a natureza tenha sido cruel conosco, simplesmente por Nossa Atitude. Nos falta caráter para cumprir estas premissas básicas de funcionamento das sociedades.
Quanto mais empenho coloquemos em nossos atos e mudemos nossa atitude, pode significar a entrada do nosso país na senda do progresso e bem-estar...