terça-feira, 27 de agosto de 2013

Agora vou falar...

AUTO_sponholz

“Como não faz distinções entre o que é produtivo ou destrutivo para sociedade, o PIB só passa por indicador de progresso para quem nunca tenha visitado sua cozinha.” (Economista José Eli da Veiga em 15/04/2008)

Já está enfadonha a política econômica brasileira em relação à importância que seus técnicos têm dado aos humores do PIB. Uma hora falam em PIBÃO, noutra falam em PIBINHO. E a mídia em geral faz dessas declarações seu prato cheio para dar opiniões que em nada modificam o cenário político e econômico. Nem ajudam aos demais mortais interpretar o quê, de fato, está acontecendo... Tudo é um grande engodo; uma simples brincadeira de ignorantes falando para uma população que já se acostumou a dar importância ao que não é importante.

As políticas adotadas assemelham-se mais aos “programas” adotados pelas famílias mais pobres que tomam, normalmente, suas decisões baseada nas necessidades imediatas, sem qualquer capacidade de avaliar as possíveis consequências futuras, ainda que imediatas decorrentes da mesma.

É assim que eles resolvem seus problemas habitacionais, por exemplo.

Ainda falando sobre as “soluções das famílias mais pobres”, descrevo um bem provável exemplo:

Quando moram numa casa pequena (quem se lembra daquelas chamadas de 3 ou 4 peças) e os filhos crescem, resolvem a situação mediante a construção de um “puxadinho” para acomodar melhor seus filhos, mantendo o casal num quarto isolado. E seguem nessa “estratégia” até o momento em que o filho cresce, casa e tem de morar junto com os pais... mais um puxadinho acolhe o jovem casal. Nasce o neto... a solução já está pronta... basta fazer mais um puxadinho...

Ao que tudo indica a Presidente, seus Ministros e Conselheiros Econômicos, atuam na mesma ‘estratégia’... Resolve-se qualquer crise com a criação de uma nova; ainda que suas consequências sejam igualmente desastrosas... Ou piores, como a história recente vem demonstrando.

Os equívocos, a falta de uma análise cuidadosa da situação pela qual passa o país e os demais países é uma prática comum. Parece, até, uma ‘política de governo’. Se é que tenham alguma capacidade em engendrá-los...

A cada decisão encontramos motivos para (i) serem reduzidos mais postos de trabalho; (ii) aumentar o déficit comercial; (iii) desestimular a produção interna; (iv) aceleração da inflação e desvalorização do real; (v) etc.

Tudo vem de improviso, sem qualquer conexão ou compromisso com o que é esperado de qualquer governo. Minimamente sério!

Por sua vez, as pessoas em geral vem adotando, também, suas soluções nessas mesmas bases. A maioria esperando o dia em que devem buscar os seus ‘rendimentos’ compromissados por bolsas criadas com o único objetivo de continuar a prática de apostar na elevação do PIB mediante o consumo interno. A maioria atende ao apelo do governo comprando algo desnecessário usando a facilidade de compromissar-se num novo carne, para pagamento a longo prazo...

Modificam alguma coisa, com outras desastradas consequências, alterando políticas tributárias, que servem mais para criar problemas municipais do que desenvolver, efetivamente, uma evolução da economia.

Quando a situação parece calamitosa resolvem o problema com a mídia que informa as ‘melhoras dos índices de aprovação da presidente’. Ou modificando os índices que indicam a ‘elevação da quantidade de pessoas na classe média’...

Foram proféticas as palavras de Renato Russo... “Que país é este?”

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Bandidos e Políticos não me representam nas manifestações cívicas

UNKNOWN_PARAMETER_VALUE
foto recebida de um manifestante cívico
(abaixo apresento outras fotos recebidas do mesmo)
Os políticos e os partidos políticos não me representam!
A política representativa já faliu há muito tempo. Os eleitos sempre tiveram interesses próprios ao receberem o voto das urnas. No momento de sua posse ele se esquece totalmente dos seus eleitores e volta todo seu interesse na busca dos recursos (normalmente ilícitos) para acertar contas com seus financiadores, além de amealhar algum para si e para os seus.
Isso parece ser regra na política brasileira. E já faz um bom tempo... e ainda se fala em democracia, estado independente de direito, urna eletrônica (que coisa, hem?)...
Tudo isso para dizer que o meu sentimento, ao ver nas ruas as manifestações populares reivindicando direitos, sendo engrossadas com representantes de partidos políticos, foi de revolta! A sensação foi a mesma quando percebi haver muitos baderneiros, bandidos mesmo, que estavam mesclados aos cidadãos para intimidar e promover baderna, tentando reduzir o gesto cívico que cada cidadão levou à rua...
Neste momento, depois de tantas placas levantadas pelos manifestantes, não há nenhum diferença entre políticos e seus partidos com bandidos e suas quadrilhas. Todos estão explorando a sociedade brasileira...
A diferença, quem sabe, é que o bandido mata este ou aquele de forma distinta, ainda que sem motivo ou razão. O político, por sua vez, causa um crime bem maior ao desgraçar a vida de famílias por usas leis estranhas ou, simplesmente por sua omissão. Seu crime tem consequências difusas...
Por isso, fica meu recado: Bandidos e Políticos não me representam (é fácil ver a diferença entre eles, pois o bandido não lhe pede votos).
Outras fotos do manifestante:
UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (8)UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (7)UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (6)UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (5)UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (4)UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (3)UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (2)UNKNOWN_PARAMETER_VALUE (1)
Um conselho a ser seguido pelos manifestantes brasileiros:
"Galera que vai participar da manifestação... Segue uma ideia baseada nas manifestações ocorridas na Argentina: Quando os vândalos começavam a quebrar tudo lá, os verdadeiros manifestantes se sentavam, assim facilitava a ação da policia para reprimir e prender os culpados por esses tipos de ações mesquinhas. Podemos usar isso como ação nas nossas manifestações, pois queremos um país melhor livre de corruptos e leis adequadas para os cidadãos decidirem junto aos governos e não o que sabemos pelas décadas, até hoje, claramente uma "ditadura democrática".











segunda-feira, 10 de junho de 2013

Possível caminho à evolução

wallpaper_ani007

As questões da administração pública podem ser solucionadas com um pouco de criatividade. E trabalho, claro!

Infelizmente parece que a maioria dos administradores públicos têm apenas um foco: criar as condições necessárias para sua reeleição ou fazer seu sucessor, de modo a garantir sua perpetuidade no poder.

Parecem todos macaquinhos amestrados e adestrados no roubo do erário. Sem dó nem piedade! São exímios criminosos, de crimes nem sempre percebidos pela sua matéria difusa…

E todos, sem excessão, apresentam sua carinha simpática, sempre querendo que você lhe ofereça mais banana (voto, melhor dizendo).

Temos de ter responsabilidade em todo esse processo. De nada vale estendermos nosso dedo, apontando outros culpados pela mazela que vivemos e vivem a grande maioria dos brasileiros. Estamos, além de arrogantes e ignorantes, nos transformando num país de medíocres.

Acho que uma das formas de agir ainda é mediante um processo de coleta e disseminação de boas ideias, apresentação de soluções possíveis e dar a maior divulgação possível ao fato; apresentando essas ideias a vereadores, prefeitos, deputados, senadores, etc. Quanto maior o número de pessoas conseguirmos fazer vibrar numa mesma tônica, mais próximo estaremos de um bom resultado.

Um de nossos problemas é a Energia, que vem tendo apagões e, com a expectativa de elevação da demanda a partir da aceleração motivada por obras para a copa, todos teremos problemas. Sem energia elétrica nada funcionará!

Somos totalmente dependente desse tipo de energia!

Ao mesmo tempo vemos os problemas causados pelos lixões e pelo descaso público em relação à gestão do mesmo. Enchentes programadas vêm ocorrendo por conta da falta de educação da população e da inoperância do Estado de um modo geral. O lixo se acumula e causa outros problemas inerentes à população, como doenças e a proliferaão da dengue (por ex.), que é um flagelo, também, na produção econômica das cidades.

Busquei reunir algumas notícias que permitem uma reflexão e, principalmente, o início de alguma ação reparadora, criativa e geradora de riqueza a todos.

Inicialmente faço uma reflexão sobre a nossa grande capacidade de geração de energia renovável, de fonte limpa e praticamente inesgotável. Sobre esse tema veja o comentário em Falta pouco para termos energia eólica – A nossa grande capacidade de geração decorre da abundância de Sol em todo país.

Resolvendo as questões de energia e da gestão dos lixões que estão começando a sufocar várias cidades brasileiras, vale a pena conhecer as soluções relatadas em texto sobre a geração de energia elétrica a partir de resíduos sólidos urbanos ou em forma de educação às pessoas, conforme a reportagem em Santa Catarina, no Dia do Meio Ambiente, nos apresenta.

Quando falamos em educação ambiental o pensamento que vem, normalmente às pessoas é “economizar água”. Sem dúvida qualquer desperdício deve ser evitado, sob pena de ser reconhecido um “estado de burrice e/ou estupidez” daqueles que o fazem. Na realidade – acreditamos – o cuidar do ambiente vai bastante além. Ele depende de uma disciplina de consumo, onde iremos, sem dúvida, gerar menor quantidade de lixo, poluindo menos o meio ambiente e protegendo o local em que vivemos. No site da AMBIENTE BRASIL vemos que é necessário que os municípios acabem com seus lixões até 2014!!!

A meta já nos parece meio inviável, até pela vontade do administrador público estar focada apenas na construção de estádios (ops, Arenas como gostam de denominar esses enormes elefantes brancos).

Vamos acordar para as nossas necessidades e emergências! Vamos convocar os políticos e empresários que possam, de alguma maneira, iniciar e dar seguimento às várias ideias que este grande país ainda oferece.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Sítio arqueológico descoberto em São Paulo


Parece coisa de revista em quadrinhos, daquela época em que as histórias eram bem feitas e nos atraiam sem necessidade de apelações de baixo nível.

A notícia nos revela uma "guerra" que passara a ser travada entre "Tamoios"* e "Aratus"**, que deverá acontecer nas esferas ligadas ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e DERSA.

Esse novo sítio arqueológico foi descoberto durante a obra de duplicação da Rodovia dos Tamoios, no Vale do Paraíba-SP. Conheça maiores detalhes no link: Obra de duplicação da Tamoios, em SP, revela sítio arqueológico.

Vamos aguardar os acontecimentos já que tem sido prática brasileira a promoção da extinção da cultura popular de forma sistemática, fazendo a pasteurização global em todo o país.

Poucas são as regiões brasileiras que ainda preservam sua cultura. Maior destaque para os movimentos gaúchos distribuídos por todo o Brasil pelos CTG (Centro de Tradições Gaúchas) e pelos amantes da música junina, que ocorre - principalmente - na cidade de Campina Grande, na Paraíba, que disputa a condição de Maior Festa Junina do Mundo.

Infelizmente a maioria dessas manifestações culturais vem sendo destruídas por conta de investimentos e patrocínios que vem fazendo com que todas elas acabem se parecendo com os eventos carnavalescos do Sambódromo do Rio de Janeiro...

É pena...

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Proibido, na Europa, uso de pesticida, que matava as abelhas...

Esta é uma notícia que vale a pena ser divulgada. Felizmente em algum lugar deste planeta alguém começou a olhar para as abelhas...

Elas estão, infelizmente, morrendo. No mundo todo; inclusive aqui, no Brasil!

A falta de atenção para esse importante inseto, que dá, de forma incansável, a vida a todos deste planeta pode, em pouco tempo, levar toda a vida animal e a maioria da vida vegetal à extinção.

Leia com atenção e faça o que estiver ao seu alcance.

Cara comunidade da Avaaz,

Conseguimos -- a Europa acabou de votar uma proibição aos pesticidas de abelhas! Grandes empresas como a Bayer lutaram com toda força contra a proposta, mas o poder popular, a ciência e a boa governança foi mais forte!!

Morte das abelhas na Alemanha
Abelhas "morrem" em frente à sede da Bayer em Colônia, na Alemanha
Vanessa Amaral-Rogers, da organização especializada em conservação, Buglife, disse:
"Foi um voto apertado, mas graças à enorme mobilização dos membros da Avaaz, criadores de abelhas e outros grupos, nós vencemos! Não tenho dúvidas sobre o quanto as enchentes de telefonemas e emails enviados aos ministérios, as ações presenciais em Londres (Reino Unido), Bruxelas (Bélgica) e em Colônia (Alemanha), e a gigante petição com 2.6 milhões de assinaturas foram responsáveis por esse resultado. Obrigado Avaaz e a todos que trabalharam tão arduamente para salvar as abelhas!"
As abelhas são responsáveis por polinizar ⅔ de todos os nossos alimentos. Por isso, quando os cientistas começaram a notar que, silenciosamente, as abelhas morriam em proporções aterrorizantes, a Avaaz entrou com tudo, e não parou até alcançar uma vitória. A vitória dessa semana é fruto de dois anos de campanhas que começaram com o envio de mensagens para ministros de governos, organização de protestos para chamar a atenção da mídia junto com criadores de abelhas, comissionamento de pesquisas de opinião e muito, muito mais. Foi assim que fizemos, juntos:
  • Assegurando a posição da França. Em janeiro de 2011, 1 milhão de pessoas assinaram nosso pedido para a França fazer valer a lei sobre o banimento de pesticidas neonicotinoides mortais. Membros da Avaaz participaram, junto com criadores de abelhas, de uma reunião com o Ministro da Agricultura francês, irradiando força e pressionando-o para que ele não se intimidasse pelo lobby da indústria e mantivesse a proibição aos pesticidas, assim enviando um forte sinal para outros países europeus.

  • Bernie em Bruxelas
    Bernie, a abelha gigante infável, ajudou na entrega de nossa petição com 2.6 mihões de assinaturas em Bruxelas
  • Cara à cara com a indústria. Bayer viu a Avaaz e seus aliados protestarem ferozmente nos últimos 3 encontros anuais da empresa. Os gerentes e investidores da gigante produtora de pesticidas foram recebidos pelos criadores de abelhas, que faziam bastante barulho e carregavam banners enormes mostrando nossa petição de mais de 1 milhão de assinaturas; a petição exigia a suspensão do uso dos neonicotinoides até que os seus efeitos na natureza fossem avaliados pelos cientistas. AAvaaz até mesmo fez uma apresentação dentro do encontro dos investidores, mas a Bayer insistiu no 'não'.

  • Destacando a importância da ciência. Em janeiro de 2013, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos descobriu três pesticidas que colocavam as abelhas em risco. Foi aí que entramos novamente, buscando garantir que os políticos europeus respondessem ao apelo dos cientistas. Nossa petição cresceu rapidamente e chegou a 2 milhões de assinaturas. Após várias conversas com tomadores de decisão da União Europeia, a Avaaz entregou as nossas vozes à sede da UE em Bruxelas. Logo depois, naquele mesmo dia, a Comissão Europeia propôs uma proibição de 2 anos aos pesticidas!

  • Marcha dos criadores de abelha
    Criadores de abelhas ajudam a entregar nossa enorme petição em Downing Street, Londres
  • Aproveitando a oportunidade. A batalha para salvar as abelhas pegou fogo nos meses de fevereiro e março. Em toda União Europeia, membros da Avaaz estavam prontos para dar uma resposta enquanto os 27 membros da UE decidiam se aceitariam ou não a proposta de proibição dos pesticidas. Quando grandes países agricultores como Reino Unido e Alemanha disseram 'não', a Avaaz conduziu pesquisas de opinião pública que mostraram que a maioria dos britânicos e dos alemães eram a favor da proposta de proibição. Além disso, membros da Avaaz enviaram meio milhão de emails para os Ministros da Agricultura dos países do bloco europeu. Aparentemente temendo mais os cidadãos do que o lobby da indústria, o ministro do Reino Unido, Owen Paterson, queixou-se de um "ciber-ataque", algo que os jornalistas trataram como uma história a nosso favor! E então veio o Bernie, nossa abelha inflável de 6 metros de altura situada em Bruxelas. Uma forma bem criativa de entregar a petição, enquanto as negociações chegavam na reta final. Os jornalistas cercavam o Bernie, e descobrimos que nossa atuação ajudou a garantir que o ministro espanhol olhasse com mais atenção para a ciência e mudasse o seu posicionamento acerca do tema para proteger as abelhas. Mas nesse dia não conseguimos a maioria necessária para assegurar a proibição.

  • Bernie no The Independent
    Bernie ganha destaque no jornal britânico The Independent
  • Do alerta vermelho para o sinal verde. Em abril, a proposta que poderia salvar as abelhas é enviada ao Comitê de Recursos, dando-nos um raio de esperança se finalmente conseguíssemos trazer mais alguns países-membros para o nosso lado. Na reta final, a Avaaz junta-se à outros grupos como a Environmental Justice Foundation, Amigos da Terra e a Pesticides Action Network, além dos criadores de abelha e estilistas famosas, para organizar uma ação do lado de fora do Parlamento do Reuno Unido. Na Alemanha, os criadores de abelha lançam sua própria petição no site da Avaaz direcionada ao governo, e 150.000 cidadãos alemães juntam-se à campanha em apenas dois dias; pouco depois as assinaturas são entregues em Colônia. Mais telefonemas são feitos para os gabinetes de ministros em diferentes capitais europeias, enquanto a Avaaz respondia a uma emenda destruidora feita pela Hungria no acordo de proibição e posicionava Bernie, a abelha, novamente em uma ação em Bruxelas. As empresas de pesticidas compraram espaços de publicidade no aeroporto de Bruxelas para chamar a atenção das comitivas diplomáticas, e aumentaram a pressão sugerindo propostas como a plantação de flores selvagens. Mas a máquina de propaganda deles é ignorada.Primeiro foi a Bulgária que mudou de posição. Depois, veio a grande vitória: a Alemanha muda de ideia a favor das abelhas e carimba nossa vitória. Mais da metade dos países da União Europeia votaram pela proibição dos pesticidas!
Conseguir essa vitória foi um processo longo, e isso não seria possível se não fosse a participação dos cientistas, especialistas, oficiais de governo, criadores de abelha e todos os nossos parceiros de campanha. Podemos ficar orgulhosos do que conseguimos fazer juntos!

Forte defensor das abelhas, Paul de Zylva, chefe da Unidade de Polinização e Pesticida da organização Amigos da Terra, disse:
"Obrigado aos milhões de membros da Avaaz que se mobilizaram online e nas ruas. Sem dúvida, a enorme petição e as campanhas criativas da Avaaz ajudaram a pressionar pela proibição dos pesticidas, complementando o nosso trabalho e o de outras ONGs."
Chegou a hora de festejar a conquista desse espaço para uma das criaturas mais importantes e preciosas de nosso planeta. Entretanto, a proibição da UE durará apenas dois anos até ser revisada. E, ao redor do mundo, as abelhas continuam a morrer por causa dos pesticidas que as enfraquecem e deixam-nas confusas, além da perda de seu habitat natural causada pela expansão das cidades. Na Europa, e ao redor do mundo, há ainda muito o que fazer para garantir que a ciência seja a condutora das nossas políticas agrícolas e ambientais. E somos a comunidade perfeita para tornar isso realidade. :)

Com esperança e alegria,

Ricken, Iain, Joseph, Emily, Alex, Michelle, Aldine, Julien, Anne, Christoph e toda a equipe da Avaaz

PS: Vamos continuar nossa luta -- ajude-nos a lançar campanhas rápidas e de impacto sobre questões que são importantes para todos nós: https://secure.avaaz.org/po/bees_victory/?bjQTEdb&v=24680

PPS: Muitas das campanhas da Avaaz, como a campanha criada por um criador de abelhas alemão, foram iniciadas por indivíduos ou grupos de indivíduos. Clique aqui para descobrir como começar sua própria campanha:http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?rba13

FONTES

A campanha das abelhas, e o papel da Avaaz nesse processo, foi mencionada em centenas de artigos. Aqui estão alguns deles:

UE proibirá três pesticidas mortais para abelhas por dois anos (R7)
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/ue-proibira-tres-pesticidas-mortais-para-abelhas-por-dois-anos-20130429.html

UE proíbe três pesticidas que matam as abelhas (Euronews)
http://pt.euronews.com/2013/04/29/ue-proibe-tres-pesticidas-que-matam-as-abelhas/

Estilistas britânicos fazem campanha para salvar abelhas (Último Segundo)
http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/2013-04-26/estilistas-britanicos-fazem-campanha-para-salvar-abelhas.html

Proibição de pesticidas procura acabar com massacre das abelhas (PressEurop)
http://www.presseurop.eu/pt/content/article/3735851-proibicao-de-pesticidas-procura-acabar-com-massacre-das-abelhas

Votacão histórica pela proibição dos pesticidas neonicotinoides causadores do declínio das populações de abelhas (em inglês) (The Independent)
http://www.independent.co.uk/news/uk/politics/historic-vote-to-ban-neonicotinoid-pesticides-blamed-for-huge-decline-in-bees-8591807.html




A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 21 milhões de pessoas
 que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 18 países de 6 continentes, operando em 17 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.

Você está recebendo essa mensagem porque assinou a campanha "Community Petitions Site" no dia 2012-10-25 usando o seguinte endereço de email: antoniocarlos.pedrososiqueira@gmail.com.
Para garantir que as mensagens da Avaaz cheguem à sua caixa de entrada, por favor adicione avaaz@avaaz.org à sua lista de contatos. Para mudar o seu endereço de email, opções de idioma ou outras informações pessoais, entre em contato conosco, ou clique aqui para descadastrar-se.


Para entrar em contato com a Avaaz, não responda este email, escreva para nós no link www.avaaz.org/po/contact.


segunda-feira, 15 de abril de 2013

Os crimes pós 2ª Guerra

Vivemos um momento maravilhoso onde a tecnologia nos permite acesso a várias informações de forma instantânea…

São tantas informações que nos são disponibilizadas que – na grande maioria das vezes – agimos como se estivéssemos diante da televisão. Apenas consumimos a informação como verdadeira e a instalamos em nossa memória para ser acessada, usada, transmitida, etc. a todo instante e com nosso aval sobre sua autenticidade.

Estamos vivendo num momento paradoxal. Enquanto nos disponibilizam fantásticas tecnologias também nos entopem de conhecimento inútil e, principalmente, MEDO.

Passamos a ter medo de não sermos felizes. Como se o medo pudesse nos ajudar nesse sentido…

Só que, dentro de nosso ‘adestramento’ aprendemos a ‘confiar’ em tudo que é informado na tela da televisão. E lá que ouvimos existirem medicamentos maravilhosos, que podem ser receitados pelos renomados e confiáveis médicos, que fazem uma conversa breve (que eu chamo ‘prá boi dormir’) e já vão pegando o receituário para lhe recomendar a última novidade da ‘ciência médica’ para ‘o seu caso’.

Sim! O médico sempre estará diante de um doente a ser tratado com os remédios que estão em sua listinha pessoal. De nada adianta você afirmar que quer uma avaliação mais precisa sobre o que você está sentindo.

Ele encerra a conversa com frases do tipo: “O risco é todo seu. Afinal o médico aqui sou eu que estudei… blá-blá-blá…”

O que resta à pessoa, que até entrar no consultório julgava-se, no máximo, um paciente e, de repente, foi levada à categoria de ‘doente’? Desobedecer ao médico, que tem tanta ‘autoridade’?

Humilde as pessoas acatam e empenham boa parte de seus salários na compra daquela droga que terá de ingerir por um bom tempo, aprendendo a superar todos os seus efeitos colaterais.

Infelizmente é mais um que está dominado…

Vejam este vídeo. É um alerta a todos…

Conheça e repasse aos seus amigos. Esclareça, sempre, tratar-se de opinião de outras pessoas e, por isso, sempre é recomendável que a pessoa comece a PENSAR e faça as reflexões e ligações necessárias para saber o quê lhe faz BEM e o quê lhe faz MAL…

Pense…

domingo, 3 de março de 2013

A raiz de todos os males…

Ok… Tudo bem!

Pode ser que não seja de todos os males que afligem a humanidade atual. Mas, que é uma de suas raízes isso é fato.

Basta observamos um pouco mais o mundo ao nosso redor. E se somos pais ou avós a questão é muito mais séria…

Corremos o risco de sermos os vetores dessa praga que vem crescendo de forma assustadora.

Falo da: RITALINA. Um medicamento cada vez mais comum. Segundo informações o Brasil já é o Segundo país que mais consome essa droga. A grande maioria de seus consumidores são crianças com menos de 15 anos!

Assustador, não é?

O programa Caminhos Alternativos, da Rádio CBN-Campinas, do dia 23/02/13, preparou uma matéria muito interessante sobre esse tema. Recomendo que reserve um tempo para ouvi-lo. Clique AQUI (procure na página o programa em: Quando a medicalização ultrapassa o limite racional do viver).

 

Acredito, entretanto, que as crianças que estão sendo diagnosticadas como hiperativas estão tendo um diagnóstico equivocado pelos médicos.

Basta indagarmos: “Será que as crianças de hoje são tão diferentes das crianças que cresceram e foram nossos avós ou pais (ou nós mesmos, dependendo de nossa idade)?

Sem dúvida há diferenças profundas, que não devem ser, entretanto, a causa dessa hiperatividade…

Vejo nas diferenças existentes no crescimento das crianças a principal razão para que essas crianças atuais fiquem tão dependentes de drogas químicas.

Houve época em que para fazer com que uma pessoa se recuperasse o mais comum e caseiro dos remédios era “um copo de água com açúcar”.

Hoje a maioria das pessoas, e em especial as crianças que não têm ninguém a defende-las, consomem – praticamente durante o dia todo – grande quantidade de açúcar. Seja naquele simples adoçar do café e mamadeiras, sejam nos refrigerantes, bolos, chocolates, balas e outras bobagens alimentares modernas... Todas com o intuito de manter a criança quieta por alguns momentos, mesmo vendo televisão...

Com tanto açúcar no organismo, gerando uma enorme ‘usina interna de energia’, e sem ter como ‘gasta-la’, a criança, que vive presa num apartamento – podendo brincar apenas com vídeos games ou jogos que não implicam em qualquer esforço físico – acaba adquirindo uma das duas (ou ambas em parte dos casos) condições:

- torna-se hiperativa, para gastar o excesso de energia ingerido

- torna-se obesa, para acumular o acúmulo da energia ingerida e não gasta

Quer para com esse caminho de destruição?

Comece eliminando os refrigerantes dentre seus hábitos...

clip_image002

Conheça o volume de açúcar que há em cada bebida... E faça sua escolha...

Faça seu filho (e você também) correr todos os dias, onde for possível e no horário que for mais adequado a todos. Só não vale deixar de ‘gastar energia’.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

NIÓBIO! Será que vamos despertar???



Deputado Giovani Cherini, do PDT do Rio Grande do Sul, começa a tentar regulamentar a questão da exploração do NIÓBIO.


LINK DO VÍDEO: CLIQUE AQUI

VALE A PENA CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE ESSA RIQUEZA, DE ENORME PODER ESTRATÉGICO, QUE REPRESENTA UMA RIQUEZA MUITO MAIOR QUE A SUPOSTA RIQUEZA QUE SERÁ OBTIDA NA TEMÍVEL EXPLORAÇÃO DA CAMADA DO PRÉ-SAL...

O nióbio é um metal estratégico, com numerosas aplicações, principalmente nas indústrias aeroespacial, aeronáutica e nuclear. O Brasil detém mais de 90% do total do minério existente no planeta. Um projeto em tramitação propõe formas de controle na sua exploração. O deputado Giovani Cherini (PDT-RS) fala do assunto.