quinta-feira, 15 de abril de 2010

Banda Larga e os Tributos


Em tempo de eleição a transparência "vai passear" por outros lugares. Não fica por aqui não...

A questão do envolvimento de pessoas ligadas ao Governo (mais especialmente ao Presidente Lula) com grandes INTERE$$E$ na revitalização de determinadas "empresas", que oferecem oportunidade de fabulosos ganhos a uns pouco apaniguados.

A notícia abaixo toca num ponto essencial; a carga tributária enorme que incide sobre tudo, inclusive nos serviços de banda larga. Se essa for a intenção do governo (reduzir o custo da banda larga mediante a redução da carga tributária) seria recomendável que fosse amplamente divulgado qual é a carga atual de tributos e quanto se pretende reduzir e quando, de fato, beneficiará o bolso de cada um de nós (eu ainda acredito que isso seja possível neste país. Como sou tolo!).

Claro quer condições iguais de entrada no mercado de banda largaFonte: Valor Econômico 
 O presidente da Claro, João Cox, voltou a defender a urgência da expansão da banda larga no país e afirmou que não vê problemas na atuação do Estado na infraestrutura para o setor. "Se as condições são simétricas, (o mercado) tem de ser competitivo, pode ter o Estado. Aquele que for mais eficiente, vai levar a banda larga", afirmou o executivo em evento promovido pela companhia em São Paulo. Segundo Cox, também deveria ser levado em consideração, para a expansão do sistema, o alto imposto pago pelos clientes para o serviço, que hoje chega a 40% do valor da banda larga no país.
 Em meu entender o custo tributário, quando corretamente avaliado e mensurado, corresponde a - pelo menos - 50% do valor cobrado na Fatura.

É muito dinheiro arrecadado sem que se reflita em qualquer benefício ao cidadão. Claro que há muitos políticos interessados em receber uma parte dos recursos públicos. Mas isso já é uma outra história.

Enquanto isso vemos uma crescente população carente de comunicação e sem que haja qualquer mudança na situação atual. BANDA LARGA JÁ!

Nem que seja para dar proveito aos políticos oportunistas para divulgarem seus "santinhos eletrônicos"...