segunda-feira, 9 de junho de 2008

“A dor é inevitável, mas o sofrimento, opcional”.

É um tempo de muita tecnologia colocada à nossa disposição. A velocidade com que foram criadas nestes últimos 20 anos é fantasticamente insuportável.

Ficamos sempre com o desejo de comprar o último modelo colocado no mercado para, imediatamente após retirá-lo da loja,  descobrirmos que há um novo modelo, que coloca, inclusive, outras opções que você nem sequer imaginava que poderia precisar...

O Luciano Pires é um de nós... também pena com as diversas armadilhas cotidianas. Especialmente aquelas decorrentes da falta de respeito ao nosso tempo. Seja mais um: Não se Conforme.

Como estou fazendo agora...

 

oOo

 

SUICÍDIOS COTIDIANOS
Faz duas horas que estou apanhando do computador, tentando instalar uns programas. Recebi um DVD com a entrevista que dei ao Juca Kfouri e fui copiar. E então começou meu calvário. Tem que ter um programa pra copiar e outro para transformar a cópia num arquivo que eu possa manipular. E depois precisa de outro programa para editar o que foi copiado. Falei com um geninho nerd dos computadores e ele foi firme: é a coisa mais fácil! Me deu os nomes dos programas e lá fui eu. Duas horas apanhando. Um programa não conversa com o outro e o outro não se adapta ao um... Uma confusão sem tamanho! Mas é assim que é. Tenho que me resignar.
E lá se vão três horas apanhando do computador.
Aos domingos vou até a padaria comprar o lanchinho da noite. É o pãozinho aqui e os frios ali. Desde criança me fascina o processo de corte dos frios. O sujeito pega aquele pedação de presunto e bota naquela maquininha de fatiar e vai pegando fatia por fatia e colocando alinhadinha numa bandeja de papel. O que me fascina é apostar se ele vai adivinhar quantas fatias são necessárias para completar os 150 gramas que pedi. Quando ele pára e leva a bandeijinha para a balança é um momento de expectativa! Deu 153 gramas. Ou 147 gramas. Quase o peso exato que eu pedi!
Mas uma coisa me intriga desde criança: será que ninguém até hoje fez um cortador de frios com a balança acoplada? O cara iria cortando as fatias e cada uma que caísse já marcaria o peso. Não teria que adivinhar! Seria mais rápido. Mas que besteira, Luciano. Assim é que é. Tenho que me resignar.
E lá se foram quatro horas com o computador!
Nesta semana vivi a experiência de homologar minha saída do emprego. Primeiro no Ministério do Trabalho de Diadema. Fila. Depois na Caixa Econômica. Fila. Aí no Poupa Tempo. Fila. Caixa Econômica de novo. Fila. E de fila em fila foram-se pelo menos quatro dias e não resolvi todas as questões. Uma loucura. E cruzei com outras centenas de pessoas na mesma situação. No Brasil devem ser milhares ou milhões diariamente gastando tempo e energia nas filas para resolver processos que deveriam ser simples. E olha que o Poupa Tempo já simplifica! Mas é assim que é. Tenho que me resignar.
Cinco horas e o computador não ajuda.
Quanto tempo perdido. Tempo é vida. Quanta vida perdida...
Meu tempo é meu bem mais precioso. Cuido dele com zelo. Penso duas vezes antes de investi-lo. Não tenho tempo de sobra. Não tenho tempo pra perder. Por isso fico doente quando percebo que meu único, precioso e não renovável tempo está sendo desperdiçado por pequeninas coisas do cotidiano que, juntas, tornam-se o grande ladrão de vidas do cotidiano.
Mas quando reclamo, dizem que tenho que me conformar, que é assim mesmo, que todo mundo passa por isso, que tem gente em pior situação, que as coisas são mesmo complicadas, que isto aqui é o Brasil...
- Resigne-se, homem!
Bem, lá se vão seis horas. E agora me recomendam baixar a atualização do Windows. Meu dia se foi, enrolado com aquilo que o desgraçado do nerd disse que era a “coisa mais fácil”. Mas assim é que é, não é?
O escritor francês Honoré de Balzac disse que “a resignação é um suicídio cotidiano.” E a escritora estadunidense Bárbara Johnson parece completar: “A dor é inevitável, mas o sofrimento, opcional”.
Suicídios cotidianos. Opções.
Eu fiz a minha: optei por não me resignar.
Mas como dói...
Luciano Pires
www.lucianopires.com.br