segunda-feira, 9 de junho de 2008

"... o que dá voto é mata-burro..."

As notícias já revelam que os “gastos públicos dos Estados e Municípios dispararam”; cresceram 14,5% - em termos reais – em relação ao mesmo período de 2007 (quadrimestre). Esse aumento é observado na realização das despesas não financeiras.

É um ano eleitoral. O Voto para Prefeito deveria ser considerado por todos nós muito mais importante do que o voto para Presidente da República. Afinal o Prefeito é a autoridade com quem poderemos ter mais facilmente contato. Com o Presidente, com toda certeza, é muito mais improvável...

Sabemos que tudo o quê acontece no País, e no Mundo, ocorre dentro do limite de um Município, seja ele qual for, gostaria de saber por que damos tanta importância ao voto para o País; até mesmo para o Estado. Trata-se de espécies de ”Ficção Jurídica”.

Busquei saber um pouco onde é que os Prefeitos de algumas cidades estão gastando o dinheiro público. Como sempre, tenho andado por vários municípios. Desde São Paulo até a pequena cidade de Caldas de Santa Rita, ou mesmo do distrito de Pocinhos do Rio Verde... em todas essas cidades haverá um pleito para decidir sobre seu novo Prefeito e integrantes de sua câmara de vereadores. Na maioria delas senti muito baixa a vontade da população nessa obrigação “cívica”.

Até para instigar conversas, costumo fazer comentários sobre algumas das questões visíveis que necessitariam de uma ação do Prefeito ou de algum Vereador. Normalmente são questões antigas, graves e de solução razoavelmente “fácil”, já que dependem mais da “vontade política” do que qualquer outra coisa. As opiniões variam, claro, de acordo com as “torcidas” que são formadas em cada local.

Se a melhoria “for do interesse daquele eleitor perguntado” a ineficiência é de todos os políticos. Caso contrário, e sendo ele um “correligionário”, sua resposta tende a ser menos agressiva e ter, até, aparência de desculpa...

Uma das melhores respostas, entretanto, que consegui observar nessas andanças, veio de uma mocinha, atendente de um Hotel em um município com várias atrações potencias e que nunca teve serviço de guias turísticos para explorar essa atividade e trazer maiores benefícios ao município e seus moradores. A resposta foi a seguinte:

“O Prefeito não faz nada (organizando uma área municipal de turismo com infra-estrutura mínima para atender aos turistas que chegam à Cidade) porque Turista não vota! O que dá voto é mata-burro.”