sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Aos raros humanos que sabem ler...

Um verdadeiro Tapa na Cara!
Não tenho maiores informações sobre a origem do texto e/ou de seu autor. Aliás, se pensarmos um pouco mais, constataremos que conhecemos cada uma das informações que ele cita. Apenas deixamos a coisa correr...

Texto do Neto, diretor de criação e sócio da Bullet, sobre a crise mundial.    "Vou fazer um slideshow para você. Está preparado? É comum, você já viu essas imagens antes. Quem sabe até já se acostumou com elas. Começa com aquelas crianças famintas da África. Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele. Aquelas com moscas nos olhos. Os slides se sucedem. Êxodos de populações inteiras. Gente faminta. Gente pobre. Gente sem futuro. Durante décadas, vimos essas imagens. No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto. Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados. São imagens de miséria que comovem. São imagens que criam plataformas de governo. Criam ONGs. Criam entidades. Criam movimentos sociais. A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza. Ano após ano, discutiu-se o que fazer. Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.

Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo. Resolver, capicce? Extinguir. Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta. Não sei como calcularam este número. Mas digamos que esteja subestimado. Digamos que seja o dobro. Ou o triplo. Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo. Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse. Não houve documentário, ong, lobby ou pressão que resolvesse. Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia."

Como uma pessoa comentou, é uma pena que esse texto só esteja em blogs e não na mídia de massa, essa mesma que sabe muito bem dar tapa e afagar. Se quiser, repasse, se não, o que importa? O nosso almoço tá garantido mesmo...
A tragédia ocorrida em Santa Catarina vem ocupando grande parte da mídia e sensibilizando fortemente a opinião pública, que vem se organizando na prestação da solidariedade possível, neste momento.
A pergunta: E as autoridades que aprovaram a devastação dos morros, os famosos cortes que permitiram a construção de casas luxuosas? De estradas sem análise de viabilidade? Será que as pessoas que sofreram perdas de bens e de vidas terão alguma reparação por parte deles? Será que alguém encontrará forma de exigir a reparação das empresas e políticos que enriqueceram com o crime ambiental cometido?
Afinal, todos sabemos, as chuvas com esse volume, conforme ocorreu nestes dias, são cíclicas. A maior ou menor gravidade fica, sempre, por conta das pessoas que agem de forma inconseqüênte, ocupando espaços onde o risco é maior...
E os Bancos brasileiros, todos com elevados números em seus resultados? Quais foram os recursos que colocaram para apoir as vítimas?
As grandes lojas e supermercados? Quais os trabalhos que estão realizando?
Tá na hora da sociedade civil ser mais organizada e exigente, para que a solidariedade seja eficaz...