segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Só se houver uma poção mágica

Bruxa 2Como acontece todo o ano, ao menos para as regiões Sul e Sudeste, os profissionais das áreas de jornalismo, talvez com maior destaque àqueles da Rádio e TV, repetem “ad-nausea” suas informações sobre a extensão dos desastres e a contabilização de corpos encontrados e a quantidade de desabrigados.
Isso sem falar dos depoimentos dos “políticos da hora”, que ocupam os cargos de prefeitos, governadores e até de presidente do país. Todos os anos falam as mesmas coisas, e, em demonstrações de “grande generosidade”, especialmente se o ano antecede ou é ano eleitoral (o que acontece a cada dois anos), prometem a liberação de verbas, a tomada desta ou daquela providência, etc. e tal.
Exceto pela liberação de verbas que nunca chegam inteiras nas áreas atingidas, e servem para gastos sem regras ou efetiva aplicação. Isso se não houver os desvios para “os caixas de campanha eleitoral”.
A grande maioria transforma-se, pela rotina, em meros expectadores cada vez mais insensíveis e irresponsáveis…
Hoje foi a segunda 2ª Feira de 2010! Notícias sobre chuvas que colocam populações em alerta ainda há. Ao menos em São Paulo, que permanece “em estado de atenção”! Também há chuvas abundantes em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul!
O Rio de Janeiro vem apresentando temperatura exagerada; ao menos é o que nos revela a foto abaixo:
 calor_no_rio_de_janeiro_48 grausO forte calor deve ter afetado o termometro, sem dúvida
Na política tudo continua na mesma... Infelizmente ainda não houve nenhuma mudança que nos deixe (nem que seja uma pequena parte da população) ficar menos envergonhado e menos arrependido “por viver num estado democrático de direito”.
Na política econômica o Governo toma medidas que são estampadas nas manchetes dos jornais, tais como: “Governo reduz nível de etanol na gasolina”; “Saiba quando é vantagem usar álcool em seu carro flex. Aprenda a fazer a conta e ter vantagem.”; “Contribuinte de São Paulo tem dificuldade em pagar aumento do IPVA”; “PREVIDÊNCIA: Vem aí mais uma mordida ‘Social’”; etc.
tributos_laneFoto do Blog do doce Acido
Não sei qual dos dois tipos de manchetes (clima ou governo) representa desastre maior!
Esse estado de coisas me faz lembrar algumas frases sobre o Bom Senso.
Isso mesmo. Você entendeu direito. Falo do Bom Senso, que foi extinto há alguns anos no Brasil. E pelo jeito não há meios de encontrarmos alguém que possa substituí-lo.
Ditos populares até a bem pouco tempo:
«O mundo pertence àqueles que se levantam cedo»
«Não podemos esperar tudo dos outros»
Ou ainda,
«O que me acontece pode ser em parte também por minha culpa»
O BOM SENSO só vivia com regras simples e práticas como:
«Não gastar mais do que se tem»
e de claros princípios educativos como:
«São os pais quem dão a palavra final»
Acontece que, o BOM SENSO começou a perder o chão, quando os pais passaram a atacar os professores, que acreditavam ter feito bem o seu trabalho querendo que as crianças aprendessem o respeito e as boas maneiras.
Enfim, o BOM SENSO perdeu a vontade de viver quando percebeu que os ladrões e os criminosos tinham melhor tratamento do que as suas vítimas.
Também recebeu fortes golpes morais e físicos, quando a Justiça decidiu que era crime defendermo-nos de algum ladrão na nossa própria casa, enquanto a este último é dada a garantia de poder queixar-se por agressão e atentado à integridade física ...
O BOM SENSO perdeu definitivamente toda a confiança e a vontade de viver quando soube que uma mulher, por não perceber que uma xícara de café quente iria queimar-lhe, ao derramá-lo em uma das pernas...
Recebeu por isso, uma colossal indenização do fabricante da cafeteira elétrica.
Certamente você já reconheceu, que a morte do BOM SENSO foi precedida pelo falecimento:
- dos seu pais: Verdade e Confiança;
- da sua mulher Discrição;
- da sua filha Responsabilidade e do filho Juízo.
Então, o BOM SENSO deixa o seu lugar para quatro falsos irmãos:
- «Eu conheço os meus direitos e também os adquiridos»
- «A culpa não é minha»
- «Sou uma vítima da sociedade»
- «Meus pais não sabem nada e cobram demais»
Seria muito bom que você e cada um ao seu redor encontre os meios para fazer "viver", novamente, o BOM SENSO. Com certeza todos agradeceriam... a começar pelo próprio Planeta...